Início


Seja bem vindo e bem vinda ao site do DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO - DMO - Brasil.  

DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO – Movimento Universal Ecumênico - Oração com Informação, Ação com Oração.

A Amazônia somos nós.

 

          A Associação de Mulheres Indígenas do Alto Rio Negro é uma organização de mulheres indígenas de dez etnias diferentes que funciona há mais de 30 anos da cidade de Manaus. Isabel, do povo Kuewano, administra a organização e me contou que as primeiras associadas eram mulheres de comunidade indígenas que, nas décadas de 1970 e 1980, foram trazidas para trabalhar em casas de famílias, principalmente de militares e missionários.

          No final da década de 1960, com a criação do polo industrial e zona franca de Manaus, um grande número de migrantes de várias regiões do país foi em busca de oportunidades de trabalho, o que atraiu os missionários para a região.

          Atualmente, essas mulheres artesãs tem sua renda proveniente da venda de artesanatos. Elas também cultivam pequenas hortas para seu sustento. A matéria-prima como sementes e fibras vem de comunidades indígenas da floresta. Os indígenas sempre foram os guardiões da floresta e com o aumento do desmatamento, estão mudando suas formas de trabalhar para melhor preservar a floresta, usando somente galhos ao invés da árvore inteira, por exemplo.

          Na região amazônica podemos ver, nem sempre no nível do solo, mas certamente de cima, sinais de deterioração, destruição, devastação, desapropriação da floresta, principalmente através do agronegócio, da mineração e da exploração madeireira colocando em risco a vida de indígenas, quilombolas e outras comunidades locais.

          Segundo dados do IPAM (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia), nos seis primeiros meses de 2022 foi registrado o desmatamento recorde de 3.988 km², no acumulado de janeiro a junho. A Amazônia tem sido submetida a crescentes pressões ambientais nas últimas décadas, tanto pressões diretas decorrentes do desmatamento e incêndios florestais, quanto pressões decorrentes do aquecimento global. Apesar de tudo isso os avanços legais e ilegais na floresta continuam. O estímulo ao consumismo e a ganância dos setores industrial e financeiro pressionam a exploração da riqueza produzindo empobrecimento do solo e perda de biodiversidade.

          Precisamos nos perguntar como e quanto estamos contribuindo individual ou coletivamente para a destruição da Criação de Deus. Vemos o mundo como um presente de Deus para desfrutar egoisticamente ou nos vemos como parte da criação de Deus? As consequências da destruição vão afetar todas nós.

          “Sabemos que toda a criação geme como em dores de parto até agora” (Romanos 8,22). Somos capazes de ouvir o seu chamado? Como vivemos uma vida com respeito ao meio ambiente? Podemos apoiar meios de comércio justo e consumo consciente?

          Uma lição que aprendi com Isabel é que para aquelas mulheres não buscam somente o lucro, mas procuram criar uma economia consciente das necessidades dos outros e seja solidária com os outros.

          Conseguimos dialogar com nossas irmãs indígenas, irmãs quilombolas e todas as mulheres do mundo, independentemente de sua formação religiosa? Como podemos ser solidários com outras mulheres, especialmente aquelas que estão sendo exploradas?

          21 Jesus olhou para ele e o amou. “Falta uma coisa”, disse ele. “Vá, venda tudo o que você tem e dê aos pobres, e você terá um tesouro no céu. Então venha, siga-me.”  Nisto o rosto do homem caiu. Ele foi embora triste, porque tinha uma grande riqueza.  Jesus olhou em volta e disse aos seus discípulos: “Como é difícil para um rico entrar no reino de Deus!” (Marcos 10, 21-23)

          A acumulação e concentração de riqueza produz pobreza e desigualdade e Jesus está pedindo uma ação radical. Na Amazônia e em todo o mundo há necessidade de uma mudança radical visando a justiça social, econômica e climática. Cada um de nós é capaz de fazer mudanças em nossa casa e juntos podemos fazer mudanças em nossa igreja, no bairro, em nossa cidade, podemos responsabilizar nossos líderes públicos e privados e podemos pouco a pouco mudar o mundo porque somos o povo de Deus. 

Christina Takatsu Winnischofer
Presidente do Dia Mundial de Oração - Brasil


 Acompanhe nosso site, clicando no menu que encontra-se à direita